Rappi anuncia compra da Box Delivery

Junção das empresas pode ser uma grande oportunidade de mercado sem prejudicar a concorrência, conforme avaliação do Cade.

A Rappi anunciou nesta segunda-feira (10) a compra da Box Delivery, que é uma startup brasileira fundada em 2016, em Santos (SP).

Apesar do valor da aquisição ainda não ter sido divulgado, a ideia central da negociação é ampliar os serviços da Rappi, unindo a expertise da Box Delivery com a multiverticalidade da empresa, criando um negócio.

Sobre a Rappi e a Box Delivery

A Rappi é uma empresa colombiana de delivery que nasceu em 2015, mas que atua no Brasil desde o ano de 2017.

Por meio do app, é possível encontrar várias categorias de consumo, como por exemplo:

  • Restaurantes
  • Supermercados
  • Farmácias
  • Bebidas
  • E-commerces
  • Produtos para pet
  • Viagens
  • Serviços financeiros

Assim, ao fazer a compra dos produtos, o consumidor recebe tudo em casa rapidamente, tal como o iFood.

Além das entregas, o consumidor pode ter algumas comodidades, como por exemplo, frete grátis e descontos exclusivos para assinantes.

Já a Box Delivery foi fundada em 2016 na cidade de Santos (SP), e hoje atua no serviço de logística de entregas para empresas, tendo uma cartela de clientes bem variada, como por exemplo, a Ultrafarma, Burger King e muitas outras.

Sendo assim, a empresa opera no modelo Last Mile, que consiste na última etapa do processo de transporte de um produto, saindo do centro de distribuição até o seu destino final.

Se você não conhece a empresa, ela tem como principal objetivo otimizar as entregas por delivery de vários estabelecimentos comerciais, atuando diretamente com comerciantes e entregadores, criando uma ponte para facilitar a relação e proporcionar uma maior qualidade na entrega para o cliente final.

Compra da Box Delivery

De acordo com a Rappi, a compra da Box Delivery é viável porque as duas empresas possuem modos de funcionamento complementares, onde cada uma delas possui muita expertise.

Assim, a ideia após a finalização da negociação é integrar as operações das duas empresas gradualmente.

De acordo com Felipe Criniti, fundador da Box Delivery, a fusão das empresas vai tornar o modelo de negócio muito mais competitivo, favorecendo todo o ecossistema de entregas e beneficiando tanto os restaurantes quanto as pessoas que estão trabalhando na rua.

Quanto à negociação, a Rappi afirmou que a compra aconteceu após o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) tomar medidas para garantir que a negociação ocorresse da melhor forma possível, garantindo uma concorrência mais justa e equilibrada no setor.

Assim, além de analisar a formação da concorrência, o Cade também fará a avaliação da aquisição até a finalização de todo o processo de compra, até que as empresas se integrem totalmente.

Inclusive, as negociações entre as empresas já vem acontecendo desde o segundo semestre de 2022, já que a visão da Rappi é criar oportunidades e conexões por meio da aquisição.

Outro detalhe importante na aquisição da Box Delivery é que ela conta com alguns investidores muito estratégicos, como é o caso da Aliansce Sonae, gestora de shoppings que também é sócia da Rappi, o que torna o negócio ainda mais alinhado.

Falando sobre os impactos e efeitos da negociação, o executivo da Rappi, Sebastian Mejia, afirmou que tudo isso manifesta o compromisso com o mercado brasileiro, e que há a pretensão de continuar investindo para oferecer o melhor.

Observando o cenário econômico, a negociação ocorre em um momento bastante desafiador para empresas e startups de tecnologia em geral. Em contrapartida, o setor de delivery contou com alguns marcos recentes, já que a Uber Eats deixou de fazer entregas de restaurantes no Brasil e a 99Food anunciou o fim das suas operações.

De modo geral, as empresas acreditam que a decisão abre muitas possibilidades e oportunidades de negócio, já que a negociação não tem uma relação direta com o impedimento de pactos de exclusividade entre empresas e redes de marcas, que ocorreu após o acordo do iFood com o Tribunal do Cade.

Comentários estão fechados.