Programa Brasil pra elas – Empreendedorismo Feminino

O dia Internacional da Mulher, uma data para se pensar nos direitos profissionais conquistados e mantidos para a vida funcional das mulheres.

Sendo que muitas vezes elas são subjugadas e não conseguem os mesmos planos de carreira do que os homens.

Pensando nisso, foi criado o Brasil pra elas, programa de empreendedorismo feminino. À primeira vista, a Estratégia Nacional de Empreendedorismo Feminino “Brasil pra Elas” é uma política pública de fortalecimento do empreendedorismo feminino como instrumento de desenvolvimento econômico e social do País. 

Brasil pra Elas Objetivos

Primeiramente, o Brasil para elas tem o seguinte objetivo.

  • Promover um ambiente favorável ao desenvolvimento do empreendedorismo feminino
  • Promover o acesso à informação de todas as políticas, instrumentos e serviços que apoiam a agenda de empreendedorismo feminino
  • Ampliar a oferta de crédito para o empreendedorismo feminino
  • Promover medidas que contribuam para a emancipação cidadã de mulheres em situação de vulnerabilidade
  • promover o desenvolvimento e sustentabilidade financeira dos negócios
  •  

Vale destacar ainda que um dos fundamentos do programa de empreendedorismo feminino é a conquista da liberdade econômica e individual das mulheres.

Isto é, na maior parte das vezes não conseguem boas oportunidades ou se manter nos trabalhos anteriores a uma licença maternidade, por exemplo.

Por esse motivo, a Estratégia visa descobrir quais são os principais obstáculos encontrados pelas mulheres e como reverter cada um deles.

Brasil pra Elas Governança

Comitê de Empreendedorismo Feminino

Inicialmente, composto por representantes do Ministério da Economia, do Ministério da Cidadania, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, do Ministério da Educação, do Ministério das Comunicações, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, de bancos públicos e bancos de desenvolvimento, do setor privado e de organizações da sociedade civil. Além disso, poderá convidar outros participantes para as reuniões, sem direito a voto.

Secretaria-Executiva 

Primeiramente, o Comitê será exercido pela Subsecretaria de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato da Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia.

Ademais, as reuniões ordinárias serão trimestrais, devendo ser convocadas por correspondência eletrônica com dez dias de antecedência.

Além disso, poderão ocorrer reuniões extraordinárias quando houver necessidade.  Por sua vez, as decisões ou recomendações serão definidas por consenso.

Entretanto, caso não haja consenso, haverá votação e vencerá a proposta que obtiver maioria simples dos votos, cabendo ao Presidente do comitê, em caso de empate, o voto de qualidade.

Portanto, o Comitê de Empreendedorismo Feminino poderá constituir grupos de trabalho com a finalidade de assessoramento.

Brasil pra Elas Monitoramento

Ao final de cada ano, este comitê encaminhará ao Ministro da Economia relatório de monitoramento que conterá os resultados alcançados e as metas para o período subsequente

Logo, as empreendedoras que desejarem participar deverão aguardar publicação no site oficial

Na plataforma, há diversas dicas de Empreendedorismo Feminino e como crescer com o seu negócio.

Sendo assim, principalmente, de forma digital, através das redes sociais, lojas e-commerce e marketplace, assim como direcionamento para diversos cursos de Marketing Digital e empreendedorismo.

Por essa razão, a Jornada Empreendedora disponibilizará a todas as mulheres a possibilidade de encontrar perto de casa, uma instituição que possa lhe oferecer apoio em diversas áreas. 

Com isso, tem-se como exemplo a área financeira, técnica, educacional, mentorias individuais, assistência jurídica, psicológica e crédito.

É importante mencionar que a ferramenta está em construção e, em breve, estará disponível no Portal

Você também precisa ler:

Comentários estão fechados.