IPOs: O básico que você precisa saber para investir

Saiba o que são IPOs, como funcionam, como investir e quais são as vantagens e riscos desse tipo de operação no mercado financeiro.

Você já ouviu falar em IPOs? Essa sigla, que vem do inglês “initial public offering”, significa “oferta pública inicial” em português.

Ela representa a primeira vez que uma empresa vende as suas ações na bolsa de valores, se tornando uma companhia de capital aberto.

Mas por que as empresas fazem isso? Como funciona esse processo? E como você pode investir em IPOs?

Neste artigo, vamos responder essas e outras perguntas sobre esse tema tão importante no mercado financeiro.

Por que as empresas fazem IPOs?

Empresas que optam por realizar um IPO têm como principal objetivo angariar recursos para financiar seus projetos de expansão e crescimento.

Ao vender uma parcela do seu capital para investidores, elas conseguem obter capital sem precisar recorrer a empréstimos bancários ou outras formas de crédito, que podem envolver altas taxas de juros e prazos curtos.

Além disso, ao abrir o capital, as empresas também conquistam visibilidade e prestígio no mercado, o que pode atrair novos clientes, fornecedores e parceiros.

Outra vantagem é que os sócios fundadores ou antigos podem vender parte de suas ações e obter liquidez, ou seja, transformar seus ativos em dinheiro.

Como funciona um IPO?

Um IPO é um processo complexo e demorado, que envolve diversas etapas e agentes. Em geral, ele pode levar de seis meses a dois anos para ser concluído. Veja a seguir as principais fases de um IPO:

Contratação dos coordenadores

A empresa que deseja fazer um IPO precisa contratar bancos ou corretoras de valores para coordenar a operação.

Nesse sentido, esses coordenadores são responsáveis por avaliar o valor da empresa, definir o preço das ações, elaborar o prospecto (documento que contém todas as informações relevantes sobre a empresa e a oferta), divulgar a operação para os investidores e intermediar a negociação das ações.

Registro na CVM

A empresa também precisa obter o registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o órgão regulador do mercado de capitais no Brasil.

Para isso, ela precisa apresentar uma série de documentos e demonstrações financeiras auditadas, além de cumprir uma série de requisitos legais e normativos.

Roadshow

O roadshow é uma espécie de turnê que os coordenadores e os representantes da empresa fazem para apresentar a oferta aos potenciais investidores.

Nessa etapa, eles realizam reuniões presenciais ou virtuais com fundos de investimento, instituições financeiras e investidores qualificados (que possuem mais de R$ 1 milhão em aplicações financeiras), buscando despertar o interesse pela compra das ações.

Bookbuilding

O bookbuilding é o processo de formação do preço das ações. Ele é feito com base na demanda dos investidores pela oferta.

Com isso, os coordenadores fazem uma pesquisa de mercado para estimar qual seria o valor justo das ações da empresa e definem uma faixa indicativa de preço.

Em seguida, eles recebem as reservas dos investidores interessados em comprar as ações dentro dessa faixa.

A partir daí, eles ajustam o preço final das ações de acordo com a oferta e a procura.

Oferta

No momento da oferta, as ações são efetivamente vendidas aos investidores. Essa oferta pode ser classificada como primária ou secundária.

Na oferta primária, a empresa emite novas ações e obtém recursos financeiros com a venda.

Já na oferta secundária, os sócios atuais vendem parte de suas ações e recebem o dinheiro proveniente dessa transação.

Além disso, existe também a oferta mista, que combina os dois tipos mencionados anteriormente.

Estreia na bolsa

Após a oferta, as ações começam a ser negociadas na bolsa de valores.

Nessa etapa, os investidores podem comprar ou vender as ações livremente no mercado secundário.

O preço das ações pode variar conforme as expectativas dos investidores sobre o desempenho da empresa e as condições do mercado.

Como investir em IPOs?

Investir em IPOs pode render lucros no curto e longo prazo.

Para investir, você precisa de uma conta em uma corretora autorizada e deve acompanhar o calendário de IPOs no Brasil para escolher os mais adequados ao seu perfil.

O processo inclui a análise minuciosa do prospecto da oferta, a reserva das ações e o pagamento por elas, desde que o preço final esteja dentro do valor máximo estipulado por você.

Depois, as ações podem ser negociadas na bolsa conforme sua estratégia de investimento.

Gostou deste artigo? acompanhe-nos também em nosso canal no Telegram para receber mais conteúdo relevante.

Comentários estão fechados.