Empregos em Fortaleza: cidade gera 82 mil oportunidades com carteira assinada

Capital do Ceará segue liderando o ranking de trabalho formal. Os empregos em Fortaleza seguem em alta desde 2021. Confira todos os detalhes!

Consolidada como a maior economia do Nordeste, sendo detentora deste título por três anos consecutivos, os empregos em Fortaleza mantém a capital na lista de lugares com mais carteira assinada.

Após ter se sagrado campeã nordestina da geração de vagas formais em 2021 e 2022, a cidade está mantendo a liderança também em 2023.

Considerando o acumulado dos dois anos passados e dos quatro primeiros meses deste ano, Fortaleza soma 82,6 mil empregos criados com carteira assinada, uma vantagem de mais de 8 mil vagas em relação à Salvador, que detém a segunda colocação; e 22 mil sobre Recife, a terceira colocada. Confira o ranking dos empregos em Fortaleza e outros estados.

1º) FORTALEZA

– 2023 (1º quadri): 7.387

– 2022: 38.182

– 2021: 37.034

– Total: 82.603 empregos

2º) SALVADOR

– 2023 (1º quadri): 6.949

– 2022: 34.382

– 2021: 32.855

– Total: 74.186 empregos

3º) RECIFE

– 2023 (1º quadri): 4.531

– 2022: 26.619

– 2021: 29.539

– Total: 60.689 empregos

Considerando apenas o primeiro quadrimestre deste ano, foram criados, os empregos em Fortaleza chegaram a 7,3 mil. O montante resulta da diferença entre 104,4 mil contratações e 97 mil demissões registradas no período. Estes são os dados mais atualizados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, principal indicador do País sobre criação de vagas.

Salvador aparece na segunda posição, com saldo positivo de 6,9 mil empregos; e Recife, na terceira (4,5 mil).

O recorde de empregos em Fortaleza no mês de abril

O mês de abril foi o melhor da história para os empregos em Fortaleza, com 3,5 mil novas posições de carteira assinada, o que representa quase 80% de toda a geração do Ceará no período.

Os números do primeiro quadrimestre deste ano reforçam a posição conquistada no ciclo anterior. Em 2022, somadas, as empresas e demais entidades situadas na cidade abriram 38 mil empregos (resultantes de 303 mil admissões e 265 mil demissões).

Na segunda colocação, Salvador havia gerado 34 mil postos formais. Em terceiro, Recife acumulara pouco mais de 26 mil novas oportunidades ao longo do ano passado.

Convém destacar que, na disputa com a capital baiana, Fortaleza tomou a dianteira mesmo sendo menos populosa.

A maior economia da região também é Fortaleza

A abertura de empregos em Fortaleza é a grande responsável ao crescimento econômico que levou elevou o PIB (Produto Interno Bruto) da cidade ao número 1 do pódio nordestino nos últimos anos. Comércio, serviços e turismo são as vocações de maior musculatura, mas o crescimento econômico é espalhado em diversos segmentos.

A expansão ocorre na esteira dos investimentos privados, que não param de chegar. No varejo, por exemplo, algumas das maiores marcas do planeta, em setores variados como o de moda e alimentação, vêm se instalando em Fortaleza ao longo dos últimos anos, em busca de fatias deste mercado aquecido.

Além disso, grandes players do setor de investimentos aterrissaram na Capital com escritórios locais, de olho no fortalecimento das empresas da região e também de investidores individuais. Consultorias e auditorias globais fazem o mesmo movimento.

No que compete à gestão pública do Município, segundo Rodrigo Nogueira, secretário do desenvolvimento de Fortaleza, o foco tem sido a desburocratização, a capacitação profissional e a criação de uma ambiência para atrair negócios e dinamizar a economia local.

Assine nossa Newsletter para ler conteúdos exclusivos!

Quer receber Notícias Diárias no Telegram? Clique aqui.

Comentários estão fechados.