Covid 19: perda de memória pode ser uma das sequelas

O Covid-19 se tornou uma preocupação mundial há mais de um ano, e conforme os estudos avançam, mais se descobre sobre a doença.

Comumente, escutamos relatos de pessoas sobre as sequelas deixadas pela doença, como por exemplo, dificuldades para respirar, perda total ou parcial do olfato, dores musculares, e em alguns casos, perda de memória e dificuldade de concentração.

Entenda mais sobre a relação entre o Covid-19 e a perda de memória.

Covid-19 e funcionamento do sistema nervoso central

Um dos primeiros questionamentos acerca da atuação do vírus no corpo é: como ele entra no organismo e chega ao cérebro? 

Pesquisadores chineses sugerem duas possibilidades: a entrada do vírus pelo vasos sanguíneos após a passagem pelo pulmão ou nariz, ou ainda, pela mucosa olfatória, a qual é ligada diretamente ao sistema nervoso central (SNC).

Nesse sentido, a teoria mais viável é que o vírus entra pela mucosa olfatória, passando pela células sensoriais, as quais são ligadas diretamente ao sistema nerurológico central, explicando assim a perda de olfato e paladar e a dificuldade em respirar.

Como o coronavírus atua no cérebro?

Embora não se saiba ao certo como o vírus atua no corpo como um todo, alguns estudos tratam da atuação do covid-19 no cérebro.

Estudos afirmam que o vírus atua em dois pilares principais do cérebro, que são os neurônios e os astrócitos, responsáveis pelos impulsos nervosos e energia necessária para o funcionamento do cérebro.

Os astrócitos são células que têm diversas funções, dentre elas a sustentação e nutrição dos neurônios, regulação de substâncias e neurotransmissores, além de atuarem diretamente no funcionamento regular do cérebro.

Apesar do corpo humano possuir uma barreira para evitar que alguns elementos presentes no sangue cheguem ao cérebro, nem todos os vírus e bactérias são identificados, como é o caso do coronavírus.

Sendo assim, o coronavírus chega ao cérebro por meio dos neurônios olfatórios, sendo este o caminho direto para o cérebro, explicando também um dos principais sintomas, que é a perda de olfato e a dificuldade para respirar.

Ao chegar no cérebro, o vírus se funde aos astrócitos conforme estes produzem energia, e por meio dela, se multiplicam no corpo humano.

Como o vírus necessita de energia para se replicar e extrai a energia das células, é possível que ocorra a morte do neurônio por falta de energia. Assim, surgem as alterações e sintomas neuropatológicas e psiquiátricas relatadas pelas pessoas infectadas.

Impactos do Covid-19 na memória

Primeiramente, vamos compreender a relação do Covid-19 com a perda de memória.

Uma das primeiras reações das pessoas ao saber que contraíram o vírus é o medo. Provavelmente, conhecemos pessoas que ao saberem que estavam com coronavírus, disseram o seguinte:

“Meu Deu, e agora? O que eu faço?” 

“Eu não quero morrer! Estou desesperado.” 

“Nunca pensei que fosse passar por isso? Quando esse desespero irá acabar? Será que vou voltar ao normal?” 

Depois disso, a pessoa começa a ter piora no estado de saúde, e relata muita falta de ar, dor no peito, dores de cabeça insuportáveis, dentre outros sintomas. Mas, como explicar esse fato?

É simples. Por ser uma doença desconhecida e que ainda não possui medicamentos para um tratamento 100% eficaz, o medo e a ansiedade toma conta de quem contrai a doença, já que não se sabe ao certo como cada pessoa irá reagir e quais serão os sintomas e sequelas.

Além disso, a quantidade de mortes relatadas também geram um grande estado de ansiedade nas pessoas, e este é um dos detalhes mais importantes.

Normalmente, pessoas que sofrem de ansiedade apresentam os seguintes sintomas:

  • Taquicardia (ou frequência cardíaca elevada);
  • Respiração ofegante ou dificuldade em respirar;
  • Sudorese e tremores nas mãos;
  • Sensação de extremo cansaço;
  • Confusão mental;
  • Lapsos ou perdas de memória.

Dito isso, perceba que os sintomas da ansiedade são semelhantes à muitos sintomas do coronavírus, e aqui está o motivo da perda de memória pós covid.

Sendo assim, as sequelas se apresentam devido à entrada do vírus pelas vias aéreas, compromentendo assim o pulmão e afetando diretamente os níveis de oxigênio do organismo.

Nesse sentido, os baixos níveis de oxigenação afetam diretamente nas funções cerebrais, prejudicando diretamente o funcionamento do SNC.

Quais os possíveis tratamentos?

Como dissemos, o Covid-19 é uma doença nova que apresenta diversos sintomas e sequelas, e por isso, o comportamento é extremamente mutável e multifatorial.

Portanto, ainda não existem protocolos ou métodos validados acerca do tratamento e da recuperação quanto aos sintomas neurológicos.

Contudo, o que fazer caso surjam sintomas como confusão mental, perda de memória e dor de cabeça? 

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) afirmam que é possível tratar os sintomas com alguns medicamentos, além de tratamentos psicoterápicos, reabilitação neuropsicológica e fisioterápicos.

Além disso, exercícios que explorem e estimulem a atenção, concentração e memória também podem auxiliar no processo de recuperação do paciente, como por exemplo, yoga, pilates e exercícios aeróbicos.

Entretanto, é ideal procurar ajuda profissional médica e clínica antes de adotar algum protocolo ou procedimento de recuperação.

Veja mais: Como seria seu Desempenho com uma Memória 10 X MELHOR?

Comentários estão fechados.